Eventos Pedagógicos

14/04/2017 17:10

07/04:Escola Plena Antonio Epaminondas homenageia personalidades cuiabanas na Culminância do Projeto Pedagógico Cultural:Cuiabá 298 anos

A Escola Estadual Professor Antonio Epaminondas decidiu inovar para o ano letivo 2017 e desenvolveu o projeto de criar sete salas de aulas fixas, ou seja, ao invés de os professores mudarem de sala para dar suas disciplinas, são os alunos que vão trocar de acordo com seus horários.

Com a proximidade do aniversário de Cuiabá, a equipe gestora e os alunos decidiram que as salas seriam temáticas, para homenagear a cidade e algumas personalidades, assim surgiram as salas: Viola de Cocho (Matemática), Cabeça de Pacu (Química e Física), Igreja São Benedito (Filosofia e Sociologia), Rio Cuiabá (Biologia), Dona Eulália (História e Geografia), Pescuma (Artes e Educação Física) e Moisés Martins (Língua Portuguesa e Língua Inglesa).

 

Com as temáticas escolhidas e as pesquisas feitas, a escola realizou, na última sexta-feira (07/04), uma grande festa cuiabana para comemorar os 298 anos de Cuiabá e três personalidades, que, ainda, puderam inaugurar as salas temáticas Dona Eulália, Moisés Martins e Pescuma.

Benedito Donizete de Morais, mais conhecido como Pescuma, é jornalista e um importante músico da cultura regional, principalmente, do ritmo tradicional ‘rasqueado cuiabano’.

“Estou muito honrado por receber a homenagem e por ter tido o prazer de participar dessa festa cuiabana preparada pela escola, que é onde se forma o cidadão e os estudantes precisam conhecer a nossa cultura, que é única no Brasil. E desejo que Cuiabá cresça, mas não perca suas raízes culturais, por que é a cultura que move a alma de um povo”, fala Pescuma.

Moisés Martins é escritor, poeta, cantor, compositor, membro da Academia Mato-Grossense de Letras, é considerado um dos ícones do movimento chamado de cuiabania.

 

“A escola está de parabéns, primeiro pelo nome ‘Antonio Epaminondas’, um grande médico cuiabano que prestou importantes serviços para a medicina de Cuiabá. E segundo, por homenagear essas pessoas que merecem pela cuiabanidade. A única maneira de nós mudarmos a estrutura social é através da educação, então, a escola tem um valor proeminente na construção da personalidade dos jovens”, comenta Moisés Martins.

A Dona Eulália faz o melhor 'tcha com bolo’ de Cuiabá, quem vai negar? A fama dessa senhora de fala mansa e olhar meigo foi propagada pelos clientes assíduos da ‘cuiabania’, estrangeiros e pelas matérias veiculadas em programas de televisão. Numa demonstração de humildade que pouco se vê em tempos de busca excessiva por exposição na mídia, dona Eulália mostra-se tímida ao ser requisitada para tirar fotos.

 

“Eu sou uma pessoa muito simples e não esperava receber essa homenagem tão bonita. Estou muito emocionada. Agradeço muito a Deus e a esses alunos que estão me dando essa alegria neste momento difícil pra mim”, comenta emocionada Dona Eulália, 83 anos e há 58 anos fazendo o seu famoso bolinho de arroz.

“É uma honra muito grande ter essas três personalidades cuiabanas aqui na escola e foi importante, pois todo o histórico cultural da cidade, das salas temáticas, das personalidades e da culinária cuiabana foram pesquisados e estudados por nossos alunos. E a gente vai fazer essa interdisciplinaridade entre as temáticas culturais junto com a base nacional comum e também as disciplinas diversificadas”, explica a professora de biologia e coordenadora da Área de Ciências da Natureza, Rosiane Moreira.

 

A participação dos alunos nas discussões sobre as salas temáticas foi bem interessante, pois muitos não são de Cuiabá e puderam conhecer mais a cultura cuiabana.

 

“A ideia é que no decorrer do ano, alunos e professores construam, gradativamente, as referências de cada sala temática. O objetivo maior desse projeto é valorizar a cultura da nossa cidade”, explica o coordenador da Área de Linguagens, Jackson Regis.

Para a aluna Geovana Taques, 17 anos, do 3º ano do Ensino Médio, foi muito gratificante preparar essa homenagem a essas pessoas importantes para Cuiabá.

 

“Nós conhecemos um pouco da história deles e também da culinária cuiabana, como a cabeça do Pacu, que se você comer a cabeça não vai mais embora. Outra peculiaridade é que esse peixe é feito na folha de bananeira para ressaltar o sabor. E pelo aniversário de 298 anos, eu desejo que Cuiabá continue crescendo e que continue sendo essa cidade muito boa de se viver”.

Carla Ninos
Seduc-MT

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo