Notícias

09/08/2017 07:03

Cadeia: Juiz manda universitário Juliano Costa Marques Santos de 22 anos que atropelou e matou manobrista para o Carumbé

Segunda-Feira, 07 de Agosto de 2017, 17h:05

Juiz manda universitário que atropelou e matou manobrista para o Carumbé

Por: LUIS VINICIUS

O estudante universitário, Juliano Costa Marques Santos, 22 anos, que atropelou e matou um manobrista de 23 anos em frente a boate Valley Pub, na madrugada desta segunda-feira (7), aguarde o andamento de seu processo em regime fechado, no Centro de Ressocialização de Cuiabá, antigo Carumbé. 

 Juliano foi interrogado pela manhã, após ser preso em flagrante

A decisão pela prisão é do juiz Murilo Moura Mesquita, responsável pela audiência de custódia desta segunda-feira (07) no Fórum de Cuiabá. Juliano foi preso em flagrante enquanto fugia da polícia, após se envolver em um desentendimento na saída da Valley, brigar com um agente da Polícia Federal, atropelar e matar um manobrista que estava trabalhando. O crime aconteceu por volta das 05h.

 

Por ser estudante e não ter formação em segundo grau, a Justiça entendeu que o caso causou tamanha comoção pública e seria, inclusive, irresponsabilidade, deixá-lo em liberdade. A vítima do registro fatal é José Antônio da Silva Alves, 23. Ele deixa esposa e dois filhos gêmeos. 

 

A delegada Juliana Chiquito Palhares, responsávelpelo inquérito na Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), localizou na tarde desta segunda-feira (7) o policial federal G.A., que seria peça chave para desvendar o motivo que levou Juliano a cometer o atropelamento proposital. 

Segundo os primeiros passos da investigação, após uma discussão, o universitário Juliano Costa Marques, que estava alcoolizado, teria tentado matar o policial, mas acabou atropelando e matando o manobrista José Antônio. O corpo de José ficou em frente a boate sertaneja. 

 

De acordo com o boletim de ocorrência, logo após a confusão Juliano entrou em seu veículo, um Honda Civic, e tentou atropelar o policial, que chegou a ser atingido, mas não sofreu lesões. Durante a ação criminosa, o suspeito teria perdido o controle do carro e atropelado o monobrista.

 

Após a colisão Juliano fugiu em alta velocidade sem prestar socorro algum à vítima. No entanto, uma testemunha, que é policial militar, seguiu o suspeito e acionou uma viatura. Rapidamente, uma equipe da PM localizou Juliano. Ele foi preso no bairro Parque Cuiabá. O resultado do teste do bafômetro, feito no momento da abordagem, apontou 0,71mg/l de consumo de álcool, ou seja, acima do permitido por lei, que é de 0,05mg/l.

 

O suspeito prestou depoimento na tarde desta segunda-feira e afirmou que a sua intenção era apenas salvar seus amigos de uma confusão com o agente da Polícia Federal.

 

“Eu colhi depoimento do Juliano e ele contou que o policial federal estava brigando com seus amigos e que a sua intenção era socorre-los do agente. Porém, o suspeito teria perdido o controle do carro e atingido o manobrista, que não resistiu aos ferimentos e morreu ainda no local. Ele poderia ter causado uma tragédia ainda maior, pois após o crime, ele fugiu em direção perigosa. Após algumas buscas, eu localizei o policial federal e ele nos dará a sua versão sobre o caso. Ele é peça importante para o decorrer das investigações”, explica a delegada.

 

A delegada afirmou que o Juliano irá responder por três crimes.

 

“O Juliano vai responder por homicídio qualificado por motivo fútil. Já em relação ao policial federal que foi atingido, o suspeito vai responder por tentativa de homicídio e embriaguez ao volante. Quando pegou o carro, após ter bebido, ele assumiu o risco deste resultado, é o dolo eventual”, concluiu a delegada Juliana Palhares. 


Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo